Celebração do meu aniversário

Celebração do meu aniversário

É uma alegria me dirigir á todos vocês para expressar toda minha gratidão á tanta celebração ontem no dia . O meu entendimento é que aniversário é uma geografia de oportunidade de vida que Deus deu, o tempo que passou, o tempo da oportunidade que Deus deu no passado, e o tempo que se renova, é a oportunidade nova que Deus renovou, esse é um dos grandes presentes, é que o tempo agora que é dado por Deus vem limpinho, sem historia, sem divida nenhuma, é um crédito, e eu espero em Deus sabedoria para saber usar esse crédito da vida, de mais um ano de vida em favor da Glória e do nome Dele, em favor do Ministério que ele me confiou, pastoral, o ministério da minha família, relacio12107878_826160017481242_3059239379240737732_nnamento com meus amigos que me confiaram também o ministério público na sua representatividade como parlamentar na cidade de Manaus, e como líder político para o Amazonas, e líder espiritual também no mundo. Agradeço á Deus por toda essa oportunidade, e agradeço por ter você como amigo, companheiro, intercessor, crítico, avaliador, que com sua opinião, com sua manifestação me ajuda de alguma forma para que eu possa então no desenvolvimento desse sacerdócio, da família, do sacerdócio pessoal, do sacerdócio ministerial, espiritual e sacerdócio político possa ser um instrumento que glorifique á Deus, abençoe vidas e nos dê alegria. Muito obrigado mesmo, Deus os abençoe, conto com as orações de vocês e com o apoio que de sempre. Que Deus nos conceda mais vida e mais graça e como diz a palavra: “Ensina-nos á contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos um coração sábio.” Salmos 90:12

Marcel Alexandre assume Prefeitura

A Prefeitura de Manaus enviou ofício à Câmara Municipal de Manaus comunicando a viagem do prefeito Amazonino Mendes a Brasília nesta quarta-feira, 2, até quinta,3, e solicitando que o presidente do Legislativo assumisse o cargo. Como o presidente Isaac Tayah (PTB) está viajando, assume a Prefeitura o vice-presidente Marcel Alexandre (PMDB). Ele entrou em contato hoje com a Casa Civil da Prefeitura para comunicar sobre sua disponibilidade. “Cumpro o dever institucional de manter a governabilidade ao assumir o cargo na ausência do prefeito”, disse o vereador. Ele despacha na sede da Prefeitura nesta quinta-feira.
Fonte: Blog da Floresta

“Agradeco todas expressões de carinho, considero isso um sinal profético e uma legalidade no Reino do Espírito. Conto com as suas orações!

História de Vida (parte 3)

Marcel Alexandre estava, aos poucos, construindo uma história digna de orgulho. Com o passar do tempo, esteve envolvido em muitas ações missionárias, na época ele associava a pregação da Bíblia com apresentações musicais, o que lhe abriu diversas portas. As pessoas eram influenciadas por seu discurso e testemunho, e sempre comentavam que ele tinha vocação para ser pastor.
Aos 19 anos, ele foi convidado para trabalhar em uma cruzada missionária que visitaria várias cidades desde a Bahia até a Argentina. Ele precisaria tirar férias do trabalho junto com as férias da faculdade para ir, e conseguiu. Seriam 30 dias de viagem à trabalho pela igreja, e ele mal podia esperar o que aconteceria. Parece que Deus estava preparando uma “armadilha santa” para ele.
Logo no primeiro dia, a equipe estava diante de um problema: nenhum dos jovens queria ser o primeiro a palestrar, talvez por medo, ou por timidez. De qualquer forma, Marcel Alexandre se ofereceu para o desafio. “Eu fui lá e preguei na primeira noite. A equipe gostou tanto que eu me tornei o conferencista oficial”, lembra.
Aquele foi apenas o começo. Segundo relatado, aqueles 30 dias foram como um bombardeio para as suas convicções. Em todo lugar que ele pregava, as pessoas ficavam impressionadas com o seu testemunho, a sua paixão pelos ensinamentos bíblicos, e pela sua capacidade de ensinar. Mas o que mais parecia impressionar as pessoas era o fato de ele não ser pastor. “Quando as pessoas descobriam que eu era funcionário de um banco, elas ficavam tentando me convencer que eu estava fazendo a coisa errada, que eu devia ser pastor”, disse ele.
Marcel Alexandre fez todo o percurso de volta, se sentindo cada vez mais abalado pelos resultados da campanha. O sucesso da estratégia foi excelente, e as pessoas continuavam tentando convencê-lo a ser pastor. Ele estava sendo pego de surpresa, mas parece que Deus não estava satisfeito. Como se não bastasse, no último dia, ao sair da última igreja, na última cidade antes de voltar pra casa, uma senhora que ele nunca viu na vida o abordou e disse algo que ele nunca esqueceria.
“Eu tenho um presente que não é muita coisa, mas que vai definir a sua vida”, disse aquela senhora. Era um pequeno folheto virado de cabeça para baixo. Marcel Alexandre pegou o papel e virou o outro lado, tentando entender o que ela queria. Nele havia um mapa do Brasil com a seguinte mensagem “levanta a tua voz e anuncia”. Ele lembra que aquilo foi como a gota d’água: “aquilo realmente marcou minha vida. Algo tão simples, mas gigantêstico”.
Ele não estava pronto para toda aquela experiência. Ao voltar para o seu dia-a-dia de trabalho e estudos, se sentiu em um período muito forte de confrontos pessoais. De lá pra frente, Marcel Alexandre tinha perdido a motivação de continuar naquela faculdade, naquele trabalho… era como se o desejo que ele já tinha de se dedicar ao exercício da igreja estivesse fervendo dentro dele, e os seus líderes estavam percebendo aquilo.
No próximo capítulo:
Como Marcel Alexandre encontrou com sua “grande paixão de criança”.

História de Vida (parte 2)

Marcel Alexandre estava em casa, reflexivo naquela noite. Ele não ficou até o final da procissão por causa de um pensamento que o perseguia: “As mesmas pessoas que celebram o ‘Cristo Morto’ são as mesmas que o mataram… porque todos nós pecamos…”. Mas isso ele já sabia, já haviam ensinado isso pra ele, mas era como se ele ainda não tivesse entendido de verdade. “Eu voltei pra casa, triste e vazio”.

Ele não queria ir para o show de calouros à noite, na verdade ele não queria fazer nada. Não era apenas uma questão de fazer coisas boas ou não, mas de fazer o que quer que fosse com as intenções e motivações corretas. Ele queria algo diferente, algo que o ajudasse a encontrar sentido nas coisas. Algo realmente estava faltando, e Marcel Alexandre estava determinado a não voltar às suas atividades normais sem descobrir o que era.

Para não correr o risco de alguém o encontrar em casa, ele decidiu ir visitar um amigo que, pelo menos, não era do seu círculo de atividades da igreja. Na oficina em que aquele rapaz trabalhava, os dois conversaram um pouco. O rapaz ouviu com atenção e até parecia compreendê-lo, mas não estava conseguindo ajudar. Talvez ele não estivesse sabendo organizar seus pensamentos em palavras. Ao fim do expediente, o rapaz o convidou para ir à igreja com ele. Bem, considerando as possibilidades, ir para a igreja parecia ser a única coisa que fazia sentido. Talvez lá ele encontraria respostas.

Chegando lá, se sentou o mais discretamente possível. Ele estava satisfeito por ser um desconhecido e poder ficar sozinho com seus pensamentos. Ele só queria ouvir e tentar encontrar alguma resposta para a sua angústia. Mas por surpresa da vida (ou intervenção divina), a mensagem daquela noite parecia ter sido planejada pra ele. Marcel Alexandre entendeu, naquela noite, o que estava faltando em sua vida: uma consciência bíblica. Ele já tinha uma religião, era um cristão praticante, mas ele ainda não tinha sua vida baseada na Bíblia, e por isso suas motivações e interesses estavam o denunciando.

Ao fim, aquele senhor que estava palestrando desafiou as pessoas que se sentiram tocadas a viver de acordo com o ensino. Convidou as pessoas a largarem suas religiosidades, essa não era a parte importante, mas que cada um estudasse e a praticasse o que a Bíblia dizia. A ficha havia finalmente caído, e Marcel Alexandre aceitou o desafio. Finalmente satisfeito e de consciência tranqüila, ele voltou pra casa decidido a viver de forma diferente, e sua primeira decisão foi a de freqüentar aquela igreja.

Dalí por diante, sua vida mudou. Aquele menino de 15 anos que já era apegado a Deus, agora parecia não ter olhos para outra coisa. Em pouco tempo, por sua dedicação à igreja, ele já havia se tornado líder de adolescentes. Também participava de um grupo chamado “Conjunto Jovem”, que basicamente usava música e assistência social para levar as mensagens da Bíblia à diversas comunidades. Depois se tornou líder de juventude e continuou se destacando na sua comunidade por causa das atividades de cunho social que desenvolvia.

Naquela época, Marcel Alexandre equilibrava o trabalho na igreja com o emprego que tinha em um banco, e também estudava Ciências Contábeis. Ele estava satisfeito, feliz, continuava buscando uma vida diferente (cada vez mais firmada nos padrões bíblicos) e, aos poucos, estava encontrando. Aos 19 anos de idade, ele se viu diante da oportunidade de cruzar o Brasil, da Bahia até a Argentina, visitando diversas cidades em um projeto missionário: o “Grupo de Integração Cristã”. Esse passeio levaria todo o período de férias do trabalho e da faculdade, mas Marcel Alexandre não se importava com isso. Mal sabia ele que, novamente, a sua vida não seria mais a mesma…