CPI da Água realiza primeiras auditorias com técnicos da Ufam

Relator das investigações de supostas irregularidades na Águas do Amazonas, o Vereador Marcel Alexandre exigiu cronograma de atividades para dar celeridade aos trabalhos 
Em continuidade à agenda de compromissos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possíveis irregularidades nos contratos firmados entre a Prefeitura de Manaus e a Águas do Amazonas, o Vereador Marcel Alexandre (PMDB), responsável pela relatoria do caso, comandou as primeiras auditorias realizadas na própria concessionária na segunda-feira, 7. Dois técnicos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), contratados pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), iniciam os trabalhos solicitando da investigada documentação pertinente às cláusulas de repactuação do contrato que permitiu a Águas do Amazonas permanecer como prestadora dos serviços públicos de distribuição e abastecimento de água na capital. “Essas demandas exigidas aos técnicos vão servir para subsidiar a Comissão de investigação e tornar claro o objeto da CPI: esclarecer as metas de cobertura prometida à população e que não estão sendo cumpridas pela prestadora”, adiantou o parlamentar.

Outra exigência do Vereador Marcel Alexandre é que, após os primeiros contatos dos técnicos da Ufam com a concessionária de água, seja emitido por eles um cronograma de trabalho para respaldar as próximas vistas. “Como cumprimento desses requisitos evitaremos, assim, posteriores retrabalhos e daremos celeridade às investigações. Nosso maior ´ouvido´ é a população que está esperançosa por respostas e nós, vereadores, temos o dever de informá-los sobre o andamento das nossas atividades. Inconcebível é termos tanta água e o povo padecer pela escassez do líquido em suas torneiras”, detalhou.

Em resposta ao Vereador Marcel Alexandre, o técnico da Ufam, Paulo Rodrigues garantiu que essas solicitações serão atendidas tão logo a Águas do Amazonas comece a processar os documentos exigidos para em seguida ser estabelecido um cronograma de visitas mais detalhado.

CPI da Água avança com auditorias e visitas

Como relator da CPI da Água, o Vereador Marcel Alexandre já começa receber os documentos exigidos para dar seguimento aos trabalhos investigativos da Comissão. Para se ter uma ideia do avanço das atividades, amanhã dois técnicos da Universidade do Amazonas (Ufam) estarão na concessionária Águas do Amazonas para a realização de auditoria fiscal e ambiental no local. Também nesta segunda e próxima quarta os vereadores que compõe a CPI estarão em diligência para visitas in loco nas regiões mais afetadas pela falta de abastecimento de água na capital. A primeira região da cidade a ser visitada será a Zona Leste, focando sempre os principais bairros que mais reclamam da falta de água nas torneiras. Em seguida, os parlamentares vão se deslocar para a Zona Norte da cidade, seguindo a mesma linha de visita e tendo como objetivo principal constatar se de fato há coerência entre os dados emitidos pela concessionária e a realidade vivida pela população.

Contamos com a sua colaboração. Ligue para nós: 3303-2825.
PROCON-AM 0800-921512.

CPI das Águas Enchente no Amazonas e falta de água potável nas torneiras

CPI das Águas
Enchente no Amazonas e falta de água potável nas torneiras – Como Pode?

 
Enquanto esta matéria era escrita, as informações da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM) eram que o nível das águas do Rio Negro já havia ultrapassado a margem de segurança estipulada pelo Serviço Geológico do Brasil, que é de 28,90 metros, e espera-se, por parte da Prefeitura da capital, ser decretada situação de emergência.

Segundo o Serviço Geológico e os noticiários,as áreas mais afetadas estão na orla de Manaus, nos bairros da Glória, São Raimundo e Presidente Vargas, todos na zona Oeste, onde os moradores já pediram a ajuda das Defesas Civis, estadual e municipal, para a construção de pontes de acesso aos pontos mais críticos. 

E baseado nesta tão desagradável situação, é que sou motivado a continuar lutando para calar o grito cotidiano e desafiador do cidadão manauara – a falta de água nas torneiras. Como pode termos tanta água natural a ponto de causar problemas de níveis que afetam centenas de famílias e não termos água potável para a população?

Ao aceitar a árdua tarefa de ser o relator da CPI das Águas, muito além de descrever o quadro da não operacionalização da distribuição da água para as pessoas, bem como denunciar tecnicamente este desrespeito aos direitos do homem e da mulher manauara, sou solidário a todo aquele que sofre pela enchente ter alcançado a sua residência, assim como, aquele que não tem água para nem sequer tomar um banho após uma longa jornada de trabalho, sem falar da utilização (ou não), da mesma, para cozinhar os alimentos, lavar as roupas e deixar a casa limpa.

Estamos trabalhando árduo com o que temos na Câmara Municipal de Manaus para poder chamar e responsabilizar todos aqueles que impetraram este caos que já rola há mais de uma década na cidade. E o resultado deste trabalho não ficará somente em apresentar os responsáveis por isso, mas fazê-los colocar água para todo o cidadão, já que nós, vereadores, não podemos realizar tal tarefa, porém para estes aos quais nós pagamos muito caro para ter este liquido precioso, podemos, sim, produzir na direção deles, mesmo que à força judicial, a distribuição de água para todos.

Pensando em formas legais de agregar força ao cidadão, na semana passada trouxemos como parceiros desta luta o PROCON-AM, ao qual abriu todas as portas para ser mais um canal e voz do cidadão que precise denunciar a falta d’água na sua casa. Basta fazer uma ligação e fornecer os dados da sua rua ou casa, que, com certeza, providências serão tomadas dentro dos prazos previstos pela lei. Por isso, peço que liguem mesmo para registrar esta irresponsabilidade que estão fazendo conosco.

Chegando lá, recebemos os números de reclamações contra os serviços essenciais, nos três primeiros meses de 2012. No acumulado desse ano, a Águas do Amazonas aparece em primeiro lugar em número de queixas (22,4%), seguida pela Amazonas Energia (13,4%) e Oi/Telemar quanto à telefonia fixa (6,2%).

Enfatizo que enquanto relator da CPI, vou garantir que a Câmara Municipal dará uma resposta satisfatória à população sobre as falhas no serviço de abastecimento de água na cidade. Queremos que a Águas do Amazonas seja punida e não saia ‘de fininho’, dando ‘aurevoir’ [‘adeus’, em francês] para a capital, como da última vez.

Para você ter uma ideia de como estamos pressionando a Águas do Amazonas, por um requerimento oficial à concessionária, solicitamos todos os documentos necessários para podermos analisar um a um de todo este processo, e na semana que passou recebemos mais de meia tonelada destes para podermos averiguar e dar uma resposta favorável a você. Também, já estamos de posse de documentos do Ministério Público que já indicam muitos locais oficialmente afetados pela falta de água (ressalto que eles são nossos parceiros nesta luta, também).

Enfim, o trabalho não é fácil e requer muito de nós para executá-lo, porém, tornei-me, mais do que nunca, indesistível para todo este quadro, já que ainda me pergunto: “Como pode estarmos em um “planeta de águas” e não termos nas nossas torneiras aquilo que tão de perto nos rodeia?”.

Ajude-nos ligando para nós, e agora para o PROCON-AM.

Telefone do meu gabinete: 3303.2825. Telefone do PRONCON-AM: 0800921512 (ligação gratuita)