Jesus, nosso Discipulador e Luz do mundo

Jesus, nosso Discipulador e Luz do mundo

Estamos em Hanuká, e foi extraordinário iniciar a celebração da Festa das Luzes exatamente no Dia do Discipulador. Antes de sermos 12 de um líder, somos 12 de Jesus! E foi para Ele, nosso Discipulador maior, a linda festa do Fruto Fiel.

Hanuká é a Festa das Luzes, também conhecida como Festa da Dedicação. Sua história remonta ao ano 160 aC, quando os gregos dominaram Jerusalém e profanaram o Templo ao sacrificarem um porco no altar.

Eles apagaram a Menorá e consumiram o óleo sacerdotal. Uma família, porém, se levantou contra os gregos. Eram os Macabeus, Nobres e Sacerdotes, que decidiram retomar Jerusalém e purificar o Templo.

No momento de acender a Menorá, perceberam que havia óleo sacerdotal apenas para um dia. Mesmo assim, a Menorá ficou acesa por oito dias até ser concluída a produção da nova prensa. Com este milagre, o povo de Israel teve a força e a fé renovadas.

Jesus esteve presente na Festa das Luzes (João 10:22-42). Assim como exaltamos o Nome de Jesus, nosso Discipulador Maior, na celebração do Dia do Discipulador, em Hanuká, Ele também é o motivo central da Festa. Jesus é a Luz do mundo, que veio para nos libertar de todo cativeiro, realizando o maior milagre que o ser humano precisa: o novo nascimento!

Jesus é a nossa salvação, a Luz que nos ilumina e nos torna também luz para fazermos a diferença em nossa geração. A Ele, dedicamos a nossa vida, crendo que milagres se manifestarão nestes dias.

Feliz Hanuká para você e sua família!

BOX

Agradecemos a cada discípulo que participou do Fruto Fiel. A cada ovelha das nossas gerações, nossa gratidão. Sem vocês, nosso ministério não teria o sentido que tem. Vocês são o selo da nossa conquista, da nossa vitória. Deus abençoe sobremaneira! Apóstolos Marcel e Joice Alexandre

Dia do Discipulador – Relacionamento, gratidão e honra

Dia do Discipulador – Relacionamento, gratidão e honra

 

“Não é o discípulo mais que o seu mestre, mas todo o que for bem instruído será como seu mestre.” (Lucas 6:40)

No próximo dia 12/12, celebramos o Dia do Discipulador, uma data tão importante para a Visão Celular no Modelo dos 12, pois retrata uma essência que é vivida durante todos os dias do ano: discipulado é relacionamento.

Quando Jesus cumpriu Seu ministério na Terra, os discípulos andaram continuamente com o Mestre durante três anos. Eles não apenas ouviam as ministrações do Seu Mestre, mas eles viam Seu estilo de vida irrepreensível, eles presenciavam os milagres, viam como Ele tratava os pecadores, viam Suas ações e reações, ou seja, aprendiam com o relacionamento.

Jesus ascendeu aos Céus, mas deixou uma missão: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-as a observar todas as coisas que vos tenho ordenado; e eis que eu estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos.” (Mateus 28:19-20)

No livro de Atos, vemos os discípulos fazendo o mesmo que Jesus: ministrando, curando, repartindo o pão. E tudo com a mesma unção e autoridade, como verdadeiras testemunhas, verdadeiros discípulos, que reproduziam em atitudes e caráter o que aprenderam com o Mestre.Como Igreja, continuamos em nossos dias a escrever os Atos Apostólicos e, como discipuladores, seguimos na missão de fazer discípulos.

Dedicamos, então, atodos os discipuladores do MIR e das Igrejas sob a cobertura, nossa homenagem. Aos discipuladores do Brasil na Visão Celular no Modelo dos 12 a nossa honra. Aos discipuladores que estão sob a nossa supervisão (Bahia, Distrito Federal, Goiás, Pernambuco e Japão), e àqueles que passaram por nós e jamais esquecemos (Ceará, Rio de Janeiro, Bolívia e Portugal), que Deus os abençoe. Nosso apreço e honra, por dedicarem tempo e amor para reproduzirem Cristo na vida de tantos outros.

ÀnossaEquipe de 12, nossa gratidão. Sem vocês, nosso ministério não teria o sentido que tem. Vocês são o selo da nossa conquista, da nossa vitória. Deus abençoe sobremaneira. A todos que trabalham comigo na equipe política, meu muito obrigado e que Deus os abençoe.

Aos nossos Apóstolos Renê e Marita Terra Nova, para muito além da nossa gratidão, nossa fidelidade e honra, rendendo graças a Deus por suas vidas e por serem matrizes de um discipulado saudável e eficaz.

Ao Mestre Jesus, nosso referencial supremo de Discipulador, nossa entrega 100% e a confirmação do nosso compromisso de servi-lO sempre, discipulando na Igreja e na grande seara que é a nação brasileira e as nações.

Apóstolos Marcel e Joice Alexandre

Uma honra que aponta caminhos para a Nação

Uma honra que aponta caminhos para a Nação

No dia 17 de Novembro, a Assembleia Legislativa da Bahia (AlBA), condecorou o Apóstolo Renê Terra Nova com a Comenda 2 de Julho, a maior honraria do estado, pelos serviços políticos e administrativos prestados ao estado da Bahia.Muita honra porque envolve seu aspecto histórico, o fato dele ter nascido na Bahia e ter o reconhecimento da sua liderança no estado e sua influência que alcança a Nação.

 

A Comenda foi uma proposição do Deputado Estadual Heber Santana, aceita por unanimidade e é um sinal para o nosso compromisso de transformação e de reforma da nação brasileira. A nação se surpreenderá porque nós voltaremos para os princípios por um povo que crê.

Foi um dia emocionante, abençoador e de profunda reflexão, porque o Apóstolo Renê,no seu pronunciamento, mostrou o desafio que nós temos na sociedade. Se podemos fazer história com uma Comenda, nós precisamos fazer história muito maior, apontando os caminhos para salvar a família e as crianças dos ataques que estão sofrendo.

Não basta apenas uma fala ideologizada, é preciso apontar os caminhos. Se nós estamos contra a ideologia de gênero e todas as suas artimanhas, podemos usar a arma do manifesto,  mas também devemos apresentar proposituras.

 

Também tive o privilégio de fazer meu pronunciamento, no qual honrei a história do Apóstolo Renê e me senti feliz em estar diante de uma realidade que era tão difícil no passado, que era mostrar a influência evangélica na sociedade, algo que foi muito questionado e discriminado. Porém, naquela sessão solene, indubitavelmente, ficou claro que somos uma influência e uma realidade. O plenário da AlBA foi totalmente ocupado em um culto de agradecimento a Deus.

Que a nossa influência seja cada dia mais poderosa e que os caminhos de mudança que já nos foram apontados sejam concretizados através de cada reformista que tem se levantado neste tempo.

 

Missão apostólica | No dia 18 de Novembro, tive o privilégio de servir à Igreja do Senhor Jesus, ministrando durante a manhã em Brasília/DF, na terceira edição do Imersão, um evento onde os discípulos mergulham um dia inteiro para aprender mais sobre a Visão Celular no Modelo dos 12, e no final da tarde estar Salvador/BA, celebrando o Fruto Fiel no estádio de Pituaçu, no encerramento do Congresso Estadual da Visão Celular no M12.

Aqui em Manaus, no dia 22, ministrei no Congresso de Homens, um evento tão transformador, que reúne homens de valor, decididos a viver o melhor de Deus para suas vidas. Falei sobre Gideão, o quinto juiz de Israel, homem que Deus usou poderosamente devido às suas virtudes: Homem de Valor, Varão de Força, Varão de Poder. Vimos que, hoje, todos quantos são de Cristo têm o poder (as virtudes) de Deus em suas vidas para avançar e prosseguir em sua jornada espiritual. E têm o direito e a ousadia em dizer: “… somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.” (Rm 8.37b).

500 anos da Reforma – Um desafio aos reformistas

500 anos da Reforma – Um desafio aos reformistas

 No dia 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero, monge agostiniano, fixou na Catedral de Wittemberg, na Alemanha, as 95 Teses, cujo conteúdo eram duras críticas à Igreja. Hoje, 500 anos depois desse marco inicial, a  Igreja deve entender que está envolta no juízo da Reforma e precisa rever suas estruturas, sua práxis, sua ortodoxia, sua ortopraxia, clero e laicato.

Olhando para o tema do ponto de vista da Reforma Protestante, vimos que ela foi um apelo para a retomada dos Princípios, dos fundamentos inabaláveis e irreformáveis, que são os princípios da Palavra de Deus. O apelo da Reforma foi o retorno à fé, o retorno a Cristo, o retorno à glória devida somente a Deus, o retorno à Escritura, e um apelo à Graça para entendimento da salvação. Hoje, precisamos retornar a esses princípios e observá-los mais do que nunca.

Ora, se voltamos aos princípios, devemos observar o que a Escritura aponta no caráter da Igreja: uma comunidade de adoração, evangelização e comunhão. Essa é a missão primordial da Igreja. A Igreja que não evangeliza está perdida, não é Igreja. O nome Eclesia fala da chamada dos que estão fora. Eles são chamados a vir para ir. E a essência Kahal, que fala da natureza da Igreja como reprodução do Seu fundador, como uma pedrinha é reprodução da pedra, o cristão é reprodução de Cristo.

Por natureza, a Igreja não vive sem evangelização, senão ela implode. Uma recente pesquisa mostra que o número de adesão de novas pessoas à Igreja está caindo. Na verdade, está havendo um crescimento muito grande do ateísmo, do materialismo.

Alerto que o materialismo, o ceticismo e a indiferença espiritual fazem parte de uma ideologia que se infiltrou no Brasil e está tentando a todo custo se infiltrar nas famílias cristãs. A Igreja precisa atentar para isso e levar a sério o compromisso da sua missão, a responsabilidade de evangelizar e manter a fé viva, porque os nossos filhos correm o risco de não ter o privilégio da fé, de crer, de ter uma experiência com Deus e Sua Palavra.

Acredito que é urgente a necessidade de reacender a chama da evangelização, utilizando todas as formas e todas as expressões. Não é simplesmente distribuir folhetos, bater de porta em porta, fortalecer as Células, mas evangelizar através de mecanismos fortes, como a Educação.

O sonho da Educação por Princípios Bíblicos, com escolas confessionais, faculdades cristãs, precisa ser retomado. Inclusive, recentemente, o STF decidiu favoravelmente ao ensino confessional nas escolas. Através da Educação com base cristã e pautada nos Princípios da Palavra de Deus, é possível salvar o caráter, a formação e a moral do povo brasileiro.

O sonho do Governo do Justo, de um fazer político baseado nos princípios da Palavra de Deus, de políticos que decidem servir o povo por missão e não por aventura, é possível.

A Palavra do Senhor diz em II Samuel 23, que haverá um justo que governará no temor do Senhor. “Disse o Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou: Haverá um justo que domine sobre os homens, que domine no temor de Deus. E será como a luz da manhã, quando sai o sol, da manhã sem nuvens, quando pelo seu resplendor e pela chuva a erva brota da terra.” (II Samuel 23:3,4)

Sobre esse texto, Deus me disse: “Marcel, esse justo é o Messias. Mas você precisa entender que a realidade do Messias é a sua realidade e a realidade de cada pessoa”. Deus me mostrou o processo de como Ele trouxe o Messias, de como Ele trouxe um Justo. Deus tomou a Palavra e chegou a Maria e disse: “Salve, agraciada! O Senhor é contigo! Bendita és tu, bendito o fruto do teu ventre”. Maria recebeu a Palavra e, da união da Palavra e da unção do Espírito, nasceu o Messias.

O fundamento do Governo do Justo, do Reino de Deus é a Palavra de Deus no coração de cada pessoa. A Igreja como missão de ser sal da terra e luz do mundo, de evangelizar, gera o caráter do justo, do Governo do Justo. Se a escola fala para a Educação, se o hospital fala para a Saúde, o partido político fala para o povo e para a sociedade.

Neste aniversário de 500 anos da Reforma, conclamo a Igreja para rever sua missão evangelizadora e para ampliar, através da política, a missão de ser sal e luz. Através do Partido Reformista Democrático, todos nós somos reformistas e seremos instrumento de Deus para reformar a nação brasileira. Nossa missão é levar ao trono do Brasil um homem ou uma mulher de justiça para governar sobre nós, e o Reino de Deus há de vir sobre a nação brasileira, pois somos sal da terra e luz do mundo.

Que Deus nos conduza a uma profunda Reforma e salve o Brasil!