Dia do Discipulador – Relacionamento, gratidão e honra

Dia do Discipulador – Relacionamento, gratidão e honra

 

“Não é o discípulo mais que o seu mestre, mas todo o que for bem instruído será como seu mestre.” (Lucas 6:40)

No próximo dia 12/12, celebramos o Dia do Discipulador, uma data tão importante para a Visão Celular no Modelo dos 12, pois retrata uma essência que é vivida durante todos os dias do ano: discipulado é relacionamento.

Quando Jesus cumpriu Seu ministério na Terra, os discípulos andaram continuamente com o Mestre durante três anos. Eles não apenas ouviam as ministrações do Seu Mestre, mas eles viam Seu estilo de vida irrepreensível, eles presenciavam os milagres, viam como Ele tratava os pecadores, viam Suas ações e reações, ou seja, aprendiam com o relacionamento.

Jesus ascendeu aos Céus, mas deixou uma missão: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-as a observar todas as coisas que vos tenho ordenado; e eis que eu estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos.” (Mateus 28:19-20)

No livro de Atos, vemos os discípulos fazendo o mesmo que Jesus: ministrando, curando, repartindo o pão. E tudo com a mesma unção e autoridade, como verdadeiras testemunhas, verdadeiros discípulos, que reproduziam em atitudes e caráter o que aprenderam com o Mestre.Como Igreja, continuamos em nossos dias a escrever os Atos Apostólicos e, como discipuladores, seguimos na missão de fazer discípulos.

Dedicamos, então, atodos os discipuladores do MIR e das Igrejas sob a cobertura, nossa homenagem. Aos discipuladores do Brasil na Visão Celular no Modelo dos 12 a nossa honra. Aos discipuladores que estão sob a nossa supervisão (Bahia, Distrito Federal, Goiás, Pernambuco e Japão), e àqueles que passaram por nós e jamais esquecemos (Ceará, Rio de Janeiro, Bolívia e Portugal), que Deus os abençoe. Nosso apreço e honra, por dedicarem tempo e amor para reproduzirem Cristo na vida de tantos outros.

ÀnossaEquipe de 12, nossa gratidão. Sem vocês, nosso ministério não teria o sentido que tem. Vocês são o selo da nossa conquista, da nossa vitória. Deus abençoe sobremaneira. A todos que trabalham comigo na equipe política, meu muito obrigado e que Deus os abençoe.

Aos nossos Apóstolos Renê e Marita Terra Nova, para muito além da nossa gratidão, nossa fidelidade e honra, rendendo graças a Deus por suas vidas e por serem matrizes de um discipulado saudável e eficaz.

Ao Mestre Jesus, nosso referencial supremo de Discipulador, nossa entrega 100% e a confirmação do nosso compromisso de servi-lO sempre, discipulando na Igreja e na grande seara que é a nação brasileira e as nações.

Apóstolos Marcel e Joice Alexandre

Marcel Alexandre agradece a CMM prêmio recebido em Jerusalém

Marcel Alexandre agradece a CMM prêmio recebido em Jerusalém

Durante o Pequeno Expediente desta segunda-feira (16), o vereador Marcel Alexandre (PMDB), agradeceu à Câmara Municipal de Manaus (CMM) pelo prêmio que recebeu em Jerusalém, honrando a lei de sua autoria que declara Manaus-Jerusalém cidades-irmãs.

A convite da Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém (ICEJ), o parlamentar esteve em Israel para participar da celebração da Festa dos Tabernáculos e receber o prêmio que reconhece ações da sua vida pública.

“A Lei 273, de 06 de abril de 2011, de minha autoria, que estabeleceu Manaus e Jerusalém cidades-irmãs recebeu reconhecimento em Israel e, por isso, trago o prêmio para mostrar a todos, porque me sinto no dever de honrar esta Casa. Foi esta Casa que votou a lei e, por isso, merece ser honrada”, disse.

Marcel Alexandre explicou que a ICEJ considera que toda ação que possa melhorar o relacionamento no Oriente Médio, uma questão mundial relacionada à paz, é algo a ser celebrado. “O Brasil tem dado sua contribuição através das suas instituições. Neste período da Festa dos Tabernáculos, mais de 2 mil brasileiros estavam lá apoiando Israel e dizendo que contribuem para a paz”, informou.

Finalizando o discurso, o parlamentar saudou o vereador Isaac Tayah, trazendo um abraço especial ao colega, e desejando paz a todos.

Uma gestão pública por princípios transforma a sociedade

Uma gestão pública por princípios transforma a sociedade

Quando I Tessalonicenses 3:23 diz: “E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”, podemos compreender que os três eixos que reintegram o homem a Deus é pela completa influência dos atos divinos do Senhor sobre a humanidade.

O primeiro eixo, o espiritual, é aquele ao qual faz a conexão entre o humano e o divino, sendo que, tratando-se da transformação do homem interior, pelo Espírito Santo de Deus, a santidade na aliança é o fator principal para que possa haver uma renovação de atitudes que convergem para a adoração, que compreende a rendição total e cumprimento dos serviços na direção da vontade de Deus.

Em face essa reconexão espiritual entre o homem e Deus, o segundo eixo, o emocional, é gerido pela alma e recebe doses curativas imediatas ou processuais para que as estabilidades interiores e inter-relacionais se submetam ao modelo único de Deus em sempre estar disposto a restaurar as alianças. Tratando-se de alianças, o homem completa-se em suas relações na sua formação familiar, onde, com base na vida espiritual ligada em Deus e nos princípios da Sua Palavra, a alma é fortalecida pela segurança proporcionada pela presença do Senhor. Com base nesses princípios, o homem é agente principal para reduzir os indicadores das disfunções familiares que afetam a sociedade em que vive.

Impactados por essa reconexão a Deus, desaguamos no terceiro eixo que é o físico, ou corpo. As diminuições das doenças psicossomáticas (que são causadas, em sua parte, pelo grande volume de preocupações na alma), fazem com que o homem, em Deus, possa desenvolver suas atividades sociais e políticas com maior resultado e expressão de influência comunitária com grande eficácia.

Essas três composições no interior e exterior do homem em Deus fazem com que o estabelecimento do Reino de Deus na Terra esteja em pleno crescimento e apontando para o retorno do Messias e o cumprimento da oração “…que venha a nós o Seu Reino…”.

Para tanto, é preciso observar que a formação de uma consciência política e do serviço público no povo, tendo os princípios da Palavra como base, é mais que necessária. Trazer essa visão do Reino para o âmbito político, para a gestão pública, é renunciar aos interesses pessoais e atitudes isoladas, tendo os compromissos das ações políticas, como sendo parte das principais prioridades de agenda. É preciso gerar a conscientização plena de que essa é a vontade de Deus para que o Seu povo exerça a política e assuma funções públicas segundo as afirmações e conselhos da Sua Palavra.

Sendo assim, a transformação do homem na sociedade está diretamente ligada aos atos divinos do Senhor que Se utiliza dos movimentos político-humanos desde o Seu nascedouro até o pleno estabelecimento de uma sociedade justa, de uma Nação mergulhada nos princípios da Palavra.

O cumprimento desses princípios gera pessoas salvas, famílias curadas, ruas tranquilas, bairros organizados, zonas geográficas ordenadas e uma sociedade restaurada, onde os seus governantes se movem por um caráter moldado, fruto de uma política e de uma gestão pública por princípios espirituais. “Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme.” (Provérbios 29:2)

 

 

Geografias difíceis não resistem a sacerdotes reformados

Geografias difíceis não resistem a sacerdotes reformados

Nos dias 22 a 24, participei do 6º Congresso de Homens. Que evento extraordinário! O tema Sacerdotes restaurados transformam geografias difíceis desafiou cada um de nós.

Saí do Congresso, porém, com uma certeza: geografias difíceis são realmente um grande desafio, mas não são tão difíceis quando o sacerdote é reformado. Entendi que, primeiro, o sacerdote passa pela experiência e, então, ele está credibilizado como autoridade para entrar em geografias difíceis e alterar essas geografias a partir de uma experiência pessoal.

img_4485Essa experiência pessoal, entretanto, não é em torno de si mesmo, de achismos, de conclusões egocêntricas, mas uma experiência em Deus, que é o grande Reformador de todas as coisas.

A Reforma é retorno aos princípios, é algo que nos harmoniza, porque a maior crise hoje do ser humano é a de credibilidade em si mesmo e de credibilidade no próximo. O homem tem se tornado tão violento, uma ameaça a si mesmo, pois é ele que ameaça seu ambiente, sua geografia. A Bíblia diz que a natureza aguarda a redenção e a manifestação dos filhos de Deus (Romanos 8:19-22).

Vimos que o caminho da sabedoria e dos princípios da Palavra não pode faltar para o exercício do desafio dessa realidade. Vimos que é uma vocação, uma chamada que parte daquilo que temos emnosso ser, da nossa consciência reformada e reformista, da nossa consciência de sacerdote e sacerdócio, e do sonho de Deus formado em nosso coração.img_4470

A Reforma começa no homem, atinge o seu interior, a sua essência, a família, transborda na sociedade, e vemos o resultado das geografias difíceis sendo transformadas. Se a geografia mais difícil que sou eu e a segunda mais difícil que é a minha família podem ser alcançadas, não há limites para nenhuma outra geografia.

Nós, sacerdotes reformados, estamos desafiados e com formações e informações complementares, fortalecidos no nosso ser depois destes dias de Congresso, tudo para transformarmos as geografias difíceis. Vamos fazer valer a mensagem que recebemos, colocando em prática e Deus nos abençoará!

Deus abençoe os sacerdotes da nossa nação e cure a geografia do Brasil!