Refletindo sobre Política

Um dia desses recebi, por meia de mensagem no Twitter, uma série de questionamentos sobre a ocupação do solo na capital amazonense e a relação do assunto com o Plano Diretor da cidade. Resolvi não só responder aos questionamentos do ‘seguidor’ como seus desdobramentos com assuntos pertinentes, como política e bíblia. Extraí pequenos trechos das perguntas que foram enviadas para melhor entendimento da minha posição.

..o problema está na fiscalização dessa ocupação existe também a necessidade de comissões de resposta a desastres naturais, para que medidas preventivas e mitigativas sejam preparadas antecipadamente, tendo assim, uma resposta mais eficiente a estas catástrofes..
Outro problema é que nós enquanto arquitetos & urbanistas até planejamos a ocupação do solo, porém o critério técnico é deixado de lado muitas vezes, para ações ou políticas, ou então de apadrinhamento de entidades ‘não governamentais’…
“... penso também que no Governo do Justo podemos ter um papel importante e eficiente como igreja para o auxílio e conscientização para uma ocupação do solo ordenada…” 

Serão 4 palavras que começam a ser publicadas a partir de hoje, que são: 

1 –Refletindo sobre Política;
2 – Refletindo Política à luz de Jesus e os apóstolos;
3 – Refletindo sobre o propósito da política segundo a Bíblia; e
4 – Plano Diretor.

Refletindo sobre Política

O termo política é derivado do grego antigo e se refere a todos os procedimentos relativos a “polis”, ou a Cidade-estado. Assim, pode referir-se tanto ao Estado, quanto à sociedade, comunidade e definições que se referem à vida humana.

Segundo a autora Hannah Arendt, filósofa alemã (1906-1975), política “trata-se da convivência entre diferentes”, pois a política “baseia-se na pluralidade dos homens”. Assim, se a pluralidade implica na coexistência de diferenças, a igualdade a ser alcançada através desse exercício de interesses, quase sempre conflitantes, é a liberdade e não a justiça, pois a liberdade distingue “o convívio dos homens na pólis de todas as outras formas de convívio humano bem conhecidas pelos gregos”.

Segundo Nicolau Maquiavel, em O Príncipe, política é a arte de conquistar, manter e exercer o poder, o próprio governo. Ainda existem algumas divergências sobre o tema. Para alguns, política é a ciência do poder e, para outros, é a Ciência do Estado.

O que a Bíblia tem a dizer sobre política? Na verdade, não encontramos na Bíblia a palavra “política” nem uma definição da mesma. Obviamente, não poderia porque a Bíblia não é um manual ou tratado político. Porém, de Gênesis a Apocalipse, encontramos a ideia explícita de política.

Folheando suas páginas, verificamos que o conceito bíblico de política é o conceito do próprio Deus e de seus escritores sagrados. A arte de bem governar e administrar com competência são exigências constantes de Deus. Basta lermos, como exemplo, o livro do profeta Isaías. Isaías é corretamente denominado pelos estudiosos de “profeta da justiça social”. Sua reivindicação pela justiça social, como resultado de uma política responsável e consciente, era vinda do próprio Deus que o enviara a profetizar.

Os reis que governaram sob o temor de Deus e em obediência à sua Palavra foram bem sucedidos. O segredo de uma política eficiente não está na forma de governo (monarquia, democracia, etc), nem no regime político (parlamentarismo, presidencialismo), mas na aplicação prática dos princípios morais e civis da lei de Deus. Não estou dizendo que devamos restabelecer a teocracia que Israel acabou abandonando. No mundo em que vivemos, é impossível um governo teocrático. Contudo, quando os princípios bíblicos regem a conduta e a moral dos dirigentes e do povo, Deus abençoa a nação.

Quando João Calvino (1509-1564) aplicou em Genebra (Suíça) os princípios da “constituição de Deus”, a Bíblia, ele revolucionou de maneira extraordinária a vida daquela cidade. A reforma religiosa e político-social de Calvino é um marco da história, um marco que comprova, entre tantos outros exemplos semelhantes, que fé em Deus e administração pública são uma mistura que dá certo.

Que Deus nos dê homens e mulheres segundo o Seu Coração para governar. “E eu suscitarei para mim um sacerdote fiel, que procederá segundo o meu coração e a minha alma, e eu lhe edificarei uma casa firme, e andará sempre diante do meu ungido.” (I Samuel 2:35).

2 thoughts on “Refletindo sobre Política

  1. Existe algum exemplo nos dias atuais de algum país onde a religião é uma ferramenta que atua de forma positiva para o desenvolvimento de uma sociedade sadia? Como o sr. explica o fato de a maioria dos países desenvolvidos e com melhores posições no IDH não terem ligação com religião ou com essa "constituição de Deus"?

Comments are closed.