Restauração responde às matérias publicadas no Blog da Flosresta.

Na tarde do dia 27/01 o Blog da Floresta publicou a seguinte matéria:

“Marcel articula Tayah e perde semáforo e faixa de pedestre”
(veja a matéria no Blog clicando aqui)

“O vereador Marcel Alexandre comentou com amigos, de que teria sido alvo de uma retaliação do prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, por ter articulado a candidatura de Isaac Tayah, hoje presidente da Câmara. Marcel Alexandre é o vice-presidente. Em tom de indignação, Marcel Alexandre disse que o prefeito teria mandado retirar um semáforo e uma faixa de pedestre, para garantir a passagem dps membros da Igreja que não possuem carro, o grosso da igreja. Ninguém sabe se é verdade. Se for retaliação mesmo, é um instrumento de ódio que não combina mais com os tempos modernos da democracia.”


Em conversa com o Sr Orlando Farias, um dos responsáveis pelo Blog da Floresta, descobriu-se que a ManausTrans, para  tentar justificar que tal ação não se tratava  de um ato de perseguição política ao Vereador Marcel Alexandre, que também é apóstolo da Igreja da Restauração, a ManausTrans enviou uma nota dizendo que a retirada dos semáforos e das faixas para pedestres, haviam sido feitas à pedido do Pastor César Costa, a quem, erroneamente, chamam de Pastor César Maia. Nota essa que segue abaixo:

“Manaustrans atende a pedido da Igreja da Restauração”
(veja a matéria no Blog clicando aqui)

O título que tal matéria foi primeiramenta publicada era:
“Foi o pastor da Restauração quem pediu retirada do semáforo”
(como poderá notar na imagem do Twitter do Blog abaixo)

“A retirada do semáforo, em frente à igreja da Restauração na estrada da Ponta Negra, faz parte de uma série de medidas que atende a um pedido do próprio pastor, César Maia, que agradeceu o apoio do Manaustrans para ordenar o trânsito no local pois causava muitos transtornos à população. A retirada do sinal foi decidida depois da realização de um estudo de contagem volumétrica (pessoas e veículos), que diz não comportar o equipamento no local, portanto, não teve a aprovação técnica do setor de engenharia do Manaustrans. Para atender o fluxo de pessoas nos dias de culto, a Manaustrans realizou um treinamento com alguns ´obreiros´ indicados pela igreja para orientar a travessia de pessoas e ajudarem no estacionamento dos veículos. É bom esclarecer que o mesmo estudo e medida foram tomados no sinal que havia em frente `a Assembléia Legislativa do Amazonas (ALE) e à igreja Universal, na av. Constatino Nery. A solução indicada pelo Manaustrans é a implantação de passarelas que são os equipamentos mais apropriados para atender a travessia de pessoas, com segurança,  e não atrapalhar o fluxo de trânsito nesses locais.”

Diante do que fora publicado o Pastor César Costa publica a seguinte carta:

“Em resposta à matéria da Manaustrans, de 27 de Janeiro, publicada no Blog da Floresta, informo que há vários pontos errados:

1. Não houve solicitação da Administração da Igreja, na pessoa do Pr. Cesar Costa, NOME CORRETO, e não Pr. Cesar Maia, como fora publicado, para retirada dos semáforos de frente do Templo. Dois funcionários fardados (Azulzinhos) informaram que havia necessidade da retirada dos semáforos para manutenção, e não por motivos de estudo de contagem volumétrica.

2. Na primeira fiscalização, foi informado que moradores das redondezas fizeram muitas reclamações do fluxo de carros e, também, de carros estacionados em locais proibidos. Informei que estávamos prontos para cumprir com a lei, e falei a eles que a fiscalização deveria também se estender a outros pontos da cidade, como Estrada do Turismo. Ao passear de carro com a família nos finais de semana, fica intransitável, devido aos inúmeros bares e casas de show, onde carros param no meio da rua, formam fila tripla, estacionam em locais proibidos, e que nunca vi nenhuma fiscalização nessa área.

3. Quanto a um possível treinamento de obreiros para o trânsito, na frente do Templo, deixo claro que houve apenas a sugestão do Coordenador da ação, mas o treinamento não foi realizado. Para a realização, seria necessário, antes, comprar equipamentos apropriados para utilização no trânsito.

Pr. Cesar Costa, Admistrador do MIR”
Diante da ação da Manaustrans, estamos nos esforçando para entender a melhoria do trânsito, mas salientamos que a Prefeitura não pode esquecer todos os benefícios da Igreja para a sociedade que são, incomparavelmente, maiores do que o fluxo de carro aos Domingos.