Biografia – Marcel Alexandre

Biografia – Marcel Alexandre

Marcel Alexandre sempre atuou em atividades sociais não somente na capital amazonense, mas também no Brasil. Este trabalho lhe rendeu honrarias ao líder no ano de 2002 por meio da Medalha da Ordem do Mérito Legislativo do Estado do Amazonas e, em 2004 o título de Cidadão Amazonense.

Em 2006, recebeu a Moção de Louvor da Câmara Legislativa do Distrito Federal e o título de Cidadão Brasiliense em 2008; além de ser homenageado com o título Doutor Honoris Causa pela Faculdade de Educação e Teologia de São Gonçalo (RJ).

• Cidadão Amazonense
• Casado com a Apóstola Joice Alexandre
• Apóstolo do Ministério Internacional da Restauração
• Formado em Teologia pelo Seminário Batista do Sul do Brasil (RJ)/FACETEN(RR)
• Mestrando em Economia (MINTER Universidade Católica de Brasília/UniLaSalle)
• Medalha Ordem do Mérito Legislativo do Estado do Amazonas (2002)
• Doutor Honoris Causa pela Faculdade de Educação e Teologia de São Gonçalo – RJ (2008)
• Vereador do Município de Manaus (2008 – 4º maior volume de votos)
• 1º Vice-Presidente da Câmara Municipal de Manaus (biênio 2011/12)
• 1º Suplente Dep Federal do PMDB/AM
• Diretor da ICEJ – International Christian Embassy of Jerusalem no Amazonas-Brasil
• Líder Cristão de Projeção Internacional

História de Vida (parte 2)

Marcel Alexandre estava em casa, reflexivo naquela noite. Ele não ficou até o final da procissão por causa de um pensamento que o perseguia: “As mesmas pessoas que celebram o ‘Cristo Morto’ são as mesmas que o mataram… porque todos nós pecamos…”. Mas isso ele já sabia, já haviam ensinado isso pra ele, mas era como se ele ainda não tivesse entendido de verdade. “Eu voltei pra casa, triste e vazio”.

Ele não queria ir para o show de calouros à noite, na verdade ele não queria fazer nada. Não era apenas uma questão de fazer coisas boas ou não, mas de fazer o que quer que fosse com as intenções e motivações corretas. Ele queria algo diferente, algo que o ajudasse a encontrar sentido nas coisas. Algo realmente estava faltando, e Marcel Alexandre estava determinado a não voltar às suas atividades normais sem descobrir o que era.

Para não correr o risco de alguém o encontrar em casa, ele decidiu ir visitar um amigo que, pelo menos, não era do seu círculo de atividades da igreja. Na oficina em que aquele rapaz trabalhava, os dois conversaram um pouco. O rapaz ouviu com atenção e até parecia compreendê-lo, mas não estava conseguindo ajudar. Talvez ele não estivesse sabendo organizar seus pensamentos em palavras. Ao fim do expediente, o rapaz o convidou para ir à igreja com ele. Bem, considerando as possibilidades, ir para a igreja parecia ser a única coisa que fazia sentido. Talvez lá ele encontraria respostas.

Chegando lá, se sentou o mais discretamente possível. Ele estava satisfeito por ser um desconhecido e poder ficar sozinho com seus pensamentos. Ele só queria ouvir e tentar encontrar alguma resposta para a sua angústia. Mas por surpresa da vida (ou intervenção divina), a mensagem daquela noite parecia ter sido planejada pra ele. Marcel Alexandre entendeu, naquela noite, o que estava faltando em sua vida: uma consciência bíblica. Ele já tinha uma religião, era um cristão praticante, mas ele ainda não tinha sua vida baseada na Bíblia, e por isso suas motivações e interesses estavam o denunciando.

Ao fim, aquele senhor que estava palestrando desafiou as pessoas que se sentiram tocadas a viver de acordo com o ensino. Convidou as pessoas a largarem suas religiosidades, essa não era a parte importante, mas que cada um estudasse e a praticasse o que a Bíblia dizia. A ficha havia finalmente caído, e Marcel Alexandre aceitou o desafio. Finalmente satisfeito e de consciência tranqüila, ele voltou pra casa decidido a viver de forma diferente, e sua primeira decisão foi a de freqüentar aquela igreja.

Dalí por diante, sua vida mudou. Aquele menino de 15 anos que já era apegado a Deus, agora parecia não ter olhos para outra coisa. Em pouco tempo, por sua dedicação à igreja, ele já havia se tornado líder de adolescentes. Também participava de um grupo chamado “Conjunto Jovem”, que basicamente usava música e assistência social para levar as mensagens da Bíblia à diversas comunidades. Depois se tornou líder de juventude e continuou se destacando na sua comunidade por causa das atividades de cunho social que desenvolvia.

Naquela época, Marcel Alexandre equilibrava o trabalho na igreja com o emprego que tinha em um banco, e também estudava Ciências Contábeis. Ele estava satisfeito, feliz, continuava buscando uma vida diferente (cada vez mais firmada nos padrões bíblicos) e, aos poucos, estava encontrando. Aos 19 anos de idade, ele se viu diante da oportunidade de cruzar o Brasil, da Bahia até a Argentina, visitando diversas cidades em um projeto missionário: o “Grupo de Integração Cristã”. Esse passeio levaria todo o período de férias do trabalho e da faculdade, mas Marcel Alexandre não se importava com isso. Mal sabia ele que, novamente, a sua vida não seria mais a mesma…